quarta-feira, 11 de julho de 2007

Queria a ausência e caminhou pelas incertezas para aonde levaram as estradas. A cada parada reconheceu rostos novos e antigas, rememoradas falas. Ainda carregava um mundo. Decidiu não parar mais a fim de desencontrar-se daquilo que trazia. Tombou. Em agonia sentiu nas costas seu mundo. Foi assolado pela compreensão de que caminhava não porque desejasse a ausência, mas sim, porque ela lhe movia. E a cada parada diante de antigas vozes novas era ela que estava presente. Não entendia como, lamentava os porquês, mas a ausência impregnava seu mundo. Ainda meio tonto, já quase sem ar, finalmente descobrui-se leve, mas por hora decidiu permanecer no canto onde jaz. Agora, diante das atuais certezas está imóvel...
*escrevi este texto hoje mas tinha resolvido não publicá-lo até ler o texto Slides do blog Algo se perdeu na tradução...

3 comentários:

Pensador Louco disse...

Arre! Enfim apareceu o tal link para colocar comentários.

Adorei o post. Vertiginoso. É o que me faz sempre voltar aqui. Fico me dizendo o tempo todo que preciso criar um link direto do "Algo..." pra esse quadros incríveis que você coloca entre os posts. São outra delícia à parte, além desses escritos mágicos.

Beijão.

Gleise disse...

Nossa, obrigada...tomara que você continue voltando sempre...

beijos

PACARD DESIGNER disse...

Gostei pacas do portentoso e vernacular blógue.
Pacard