sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Le mot et la vie


Eric Fischl - The Travel of Romance: Scene V, 1994

Saberias,
Outrossim,
Lutar
Inconteste?
Tombando
Ausências
Insuspeitas,
Reencontrar
Encantos?



quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

M.M.C.


Piero Manzoni #9. (4sx)
“… that is, and that’s enough…”
Acrylic/Canvas



Minha
Inspiração
Não
Inspira.
Meu
Ar,
Liquefeito,
Imerge
Silencioso -
Meu
Oásis...

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

The show must go on ...


Odilon Redon - Evocation of butterflies (1911)



Hodierna
Inconstância -
Súbito
Tempo
Resoluto?
Inconsciente
Ônus
Neural:
Instável...
Como
Ordenar-me?

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

A cadeira


Vincent Van Gogh - Old man in Sorrow (On threshold of eternity)



Esta cadeira
não é um simples lugar
onde me lanço - um assento.
É criatura submissa,
quatro pernas imóveis,
nem sempre tão fixas,
a me suportar calada -
outros dias doída.

sábado, 31 de outubro de 2009

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Geometria cotidiana

Wassily Kandinsky




No anular, o diâmetro da esperança
não é o raio dobrado da felicidade,
o folheado da jóia
brilha o pouco espaço da cama dividida
e as palavras gravadas,
os anos ocultaram no acúmulo do corpo.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Modigliani -Seated Nude - 1909
Um tanto,
um nada
e o tempo todo.
Um tudo,
um pouco
e o sem mais.
Um sim,
um não
e o tanto faz.
Um sou,
um estou
e o ninguém jaz.
Um brinde,
um finge
e o riso cai.
Um noite,
um sol
e o banal.
Um sorte,
um não forte
e o final.

sábado, 12 de setembro de 2009


Mark Rothko - Red Abstract, 1944




P
erguntar
Antes,
Longe...
Abarcar
Veredas
Reclusas.
Antecipar-se... (- ainda e
Sempre).

sábado, 5 de setembro de 2009

Stricto Sensu

Rembrandt - Filósofo em meditação


Editados por regras,
delimitamos os objetivos,
traçamos um plano de trabalho
e escolhemos as referências,
justificando as conclusões
na insegurança das hipóteses.
Por fim,
intitulamos ao todo:
nossa vida,
e aguardamos o aval da banca julgadora.



terça-feira, 1 de setembro de 2009


Picasso - Woman with a Flower

Outside History

Petrificar o pensamento
sonhando possibilidades
de variado dizer o mesmo.
Igualdade aproximada e redutora
em seu orgulho universal.
Maquilagem racional
da pergunta transtornada
em história comunal -
modos de contar.
Agora, de fato, tudo pouco importa
se o nada está presente
ou se ausência é o que ele traz.
A fala do instante
é discurso de pedra cenográfica,
plena em seu mundo fora de lugar.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009


Arcângelo Ianelli - Nuances

Hic et nunc *

Aqui e agora
encontro-me alheio
enquanto procuro-me igual.

Aqui e agora
grito algo não dito
em minha fala de língua estrangeira.

Aqui e agora
anseio-me aflito
estando em ausente reflexão.

Aqui e agora
assemelho-me ao não presente
mas sou-me em tempo a buscar.

* Hic et Nunc é uma expressão latina que significa literalmente "aqui e agora". Fonte : http://pt.wikipedia.org/wiki/Hic_et_nunc

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Heitor dos Prazeres


Nada
Além de
Inocente
Felicidade.
Olá, o Pensador, lá do Algo se perdeu na tradução , me presenteou com o selo "Blog nota 10" (obrigada, meu amigo!) e, para exibi-lo aqui no blog preciso seguir algumas regrinhas, portanto aí vão elas:

01. O selo deve ser exibido, assim como a pessoa que lhe enviou;
02. Você deve indicar cinco, nem mais, nem menos, apenas 5 blogs para recebê-lo;
03. Avise os blogs premiados;

04. Definir você, seu blog e qualquer outra pessoa ou coisa em apenas uma palavra.

05. E por fim, você deve escrever. MEU BLOG É NOTA 10.

Sendo assim, meus indicados são (eles serão devidamente avisados):


Bem, definir o blog em uma palavra: hiperatividade (acho que é a base de tudo por aqui).

Por fim, meu blog é nota 10!


quinta-feira, 23 de julho de 2009

Pablo Picasso - The Old Guitarist


Pequena canção


to Mr. P.

Wild at heart é ainda brincadeira de menino,

denuncia a umidade das mãos.

Em preto e branco granulava a história

acesa em vermelho no teu quarto.

Agora blue, te ouço vivo -

olhares e dedos apontam and I feel fine.

O mundo é pouco,

e da caixa escura o branco da folha entoa

os desafetos te tua condição.



quarta-feira, 22 de julho de 2009



Francisco de Goya - Time, Las Viejas


Un autre *

Eu é um outro -
o já ausente.
Espelhada,
uma palavra diz
o diverso igualado.
Jogo da minha língua -
sorte -
embaralha alegóricas verdades.



* "Je est un autre" -Frase de uma carta de Arthur Rimbaud a Paul Demeny , 15 de maio de 1871.
"Car je est un autre. Si le cuivre s´éveille clairon, il n´y a rien de sa faute. Cela m´est évident: j´assiste à l´eclosion de ma pensée: je la regarde, je l´écoute: je lance un coup d´archet: la symphonie fait son remuement dans les profondeurs, ou vient d´un bond sur la scène."

domingo, 12 de julho de 2009


Hans Hartung
Encontrar-te
em limite e fim
e manter-me
na segurança de mim mesmo.
Teorizar
um ser possível na decisão
mas, conscientizar-me
da questão.
Conquistar clareza
de caminharmos, ainda,
sobre chão.

(Sweetheart, isto não vale uma canção).

quarta-feira, 8 de julho de 2009


Edward Ruscha - I Think I'll..., 1983
Projeto, para aonde jogo, adiante,
as possibilidades futuras
das incertezas presentes.
Projeto, projétil,
lançado na curva das ruas perdidas,
nos endereços marcados
com símbolos, placas e nomes;
configurado em sua
letalidade vital.

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Suprematism, 1915 - Kasimir Malevich

Hexágono fílmico,
projeções de tempo sucessivas
enganando meu auto-engano do eu.
O espaço percorrido
pela imaginação construtiva -
realidades.
Ao fim, retornaremos às certezas cotidianas,
condições de possibilidade ansiosas -
to be continued...

domingo, 24 de maio de 2009

          
Paul Klee - Angelus Novus

Le Mot*

Sangram - simultâneos -
Hoje,
Ontem,
Amanhã. O que
Há ?




* Shoá (השואה), também escrito da forma Shoah, Sho'ah e Shoa, que em língua iídiche (um dialeto do alemão falado por judeus ocidentais ou asquenazitas) significa calamidade, é o termo deste idioma para o "holocausto". (Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Holocausto)

sábado, 23 de maio de 2009

James Ensor - The Strange Masks (1892)
Suficiente - sou
Inconsequente -
Logro as
Evidências.
Não
Concluo dos
Instantes sequer o
Ontem.

(Prostrada pela afasia,
transfigurada em símbolos,
continuo no palco
com a maquiagem equivocada).

domingo, 17 de maio de 2009



Francis Bacon- [one of ]Three Studies for Figures at the Base of a Crucifixion

Metáforas óbvias (como ser um morcego existencialista ?)*

If I could be a bat
mesmo de ponta-cabeça
meu mundo ainda teria sentido.

If I could be a bat
ouvir o outro
seria um conhecimento necessário.

If I could be a bat
o gosto de sangue na boca
não seria só mais uma metáfora óbvia.

If I could be a bat
com meus cinco dedos
ainda continuaria a voar.

If I could be ...




* lógos incidental: "What is it like to be a bat? ( Como é ser um morcego?), de Thomas Nagel ou, como disse Fernando Pessoa,  Livro do Desassossego: " O esforço é inútil, mas entretém. O raciocínio é estéril, mas engraçado. (...) O sonho, porém, substitui tudo.(...) Posso raciocinar, sem que tenha em vista chegar a uma verdade, a que nunca chegue; sem querer resolver um problema, que veja que nunca resolvo...".

terça-feira, 12 de maio de 2009

Wassily Kandinsky - The Singer

                                    
Éramos tão ontem, 
mas hoje
te sei possibilidade temática
em uma conversa familiar
do amanhã...


                                                   para F too

sábado, 9 de maio de 2009

Por uma questão lógica
sou o terceiro excluído
na falácia montada
pelo meu simples pensamento existente.
Coisa que se pensa homem,
nego todo princípio de contradição
e te requisito em minhas premissas -
maiores e menores.
Um silogismo, que se quer completo,
necessita conclusão.

                                                                   Para F

sexta-feira, 17 de abril de 2009



Willem de Kooning - "Excavation"

Work in progress...
Esta noite o asfalto está mais negro,
mas meus passos parecem os mesmos
na corrida até o outro lado.

Work in progress...
O tempo passado em pé no meio de tantas falas,
penso que me divirto
e me divirto por quase não pensar.

Work in progress...
Teus olhos, objeto de minha ganância sensível,
incorporaram-se  ao subjetivo de minha consciência.

Work in progress...
A vilania do querer a ti,
querendo esta tua figura que me represento.



quarta-feira, 15 de abril de 2009

Oskar Kokoschka - Two Nudes (Lovers)

Metafísico cotidiano

Entenderias, um mundo sem fundo,

um mundo sem eu,

um que não é meu?

Um nada sem por quê,

um sem mais, para quê?

Esta música,

um lírico destempero?

Um partir-se, sem no entanto ir-se

a qualquer ponto, qualquer solução,

saída alguma?

Este travo de dor,

esta estupidez

de reles altivez?

O ridículo, o dito,

e o silêncio entre o mais aflito?

A rima boba,

as lágrimas?

E a ausência de rolas?,

por falta de coisa mais tola.

Entenderias?

Diga-me, responda com um grito

em minha cara pasmada,

em meu nada,

em minha tragédia burguesa, barata e anunciada!

Entenderias?,

serias capaz?,

serias tu o capataz de minha medíocre humanidade?

sexta-feira, 3 de abril de 2009



Chaim Soutine - La folle
O peso de um não e
O vazio acrescentado à rotina
Transtornada em suas significações.
Buscar sentidos para o já visto
Em suas cores desacostumadas.
Olhar-se em um espelho
E não ter mais o próprio reflexo.
Caminhar até a beira da cama
Na procura do seu lugar.
Encontrar-se em meio ao alvoroço
de desconhecidos 
E não se reconhecer.
Viver o peso em seus momentos,
Gradações, variações,
Tons, pausas e semi tons.
Reconstruir a harmonia de tua respiração.
Assumir de vez o não, 
Simplesmente prosseguir
Por entre o estranhamento - estar.

domingo, 25 de janeiro de 2009


Claude Monet - Le Bateau-Atelier
Palavras não ditas
e o silêncio significando.
Uns olhos tão verdes
e a tarde encoberta,
tudo cinza.
Uma alegria calma,
um sorriso leve
e a metafísica a se dissolver
no chocolate.
Uma rua que não é a minha
e um tempo que me é estranho.
Letras que me são alheias
e uma vida que é o outro.
Simples o mundo, um olhar...